quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Noite de Consoada


                                            Ana Margarida

A mão fria da noite caíra já sobre a cidade. Não admira, é Dezembro e basta que soem as cinco badaladas na torre da igreja para os corações urbanos passarem a rufar alvoroçadamente. É que se a noite é grande, o dia mal chega para cumprir o ritual sem falhas. E há ainda tanto por fazer… a ceia, farta e trabalhosa, os brinquedos das crianças por comprar, a esmola aos pobres da caridade… ah, o bolo-rei, meu Deus, e o bolo-rei!?...
Sozinho, em casa, não posso perder a magia da noite branca que, presume-se, torna os seres humanos mais próximos da ideia original do Criador!
Levanto-me lentamente da modorra do sofá, enfio os braços nas mangas do sobretudo, ajeito o cachecol que comprei ali mesmo, nas barracas de rua, numa manhã tão fria quanto esta noite de consoada, e bato à porta da cidade. Recebem-me miríades de reflexos projectados obliquamente desenhando céus de luzes que escondem as estrelas; coros de crianças entoam cantares que todos um dia aprendemos junto à lareira, mas agora mais ritmados e amplificados por gargantas electrónicas que se espalham ao longo do presépio animado. Aqui e acolá, vultos apressados tropeçam em sacos coloridos de onde pendem, molemente, fitas e embrulhos fechados a correr, creio mesmo que sem ver… sem me ver…
Dentro de mim, a noite era silenciosa, escura e fria. Noite de Inverno, já se vê. Nem mesmo a companhia dos gatos que, como eu, vagueiam pelas artérias nuas, em busca de um sorriso esquecido, conseguem revelar o negativo fotográfico que, qual parasita, se alojara no meu coração. Do lado de fora, prossegue a sinfonia de talheres que estilhaçam os vidros e gargalhadas exuberantes que silenciam os gemidos da noite.
Aconchego o cachecol ao pescoço, subo a gola do sobretudo, deito o olhar ao chão e tomo o caminho de casa. A noite está quase a passar… Quando é o Natal?...

24 de Dezembro de 2008


A todos os amigos que se fazem próximos pelos blogues deixo um abraço com os dedos longos da neve quente que sempre se faz doce na lareira do coração.


Feliz Natal e até breve!


The Pogues & Kirsty Maccoll, Fairytale of New York

63 comentários:

  1. Jorge,

    Só agora me foi possível regressar, e virei com mais calma, com todo o gosto para te ler, é que, como sabes, o final de período escolar é uma azáfama!!! :)

    Por agora, e num olhar tão delicioso pelo teu texto, venho desejar-te um Santo e feliz Natal, cheio de saúde, paz e amor!

    Um grande beijinho!

    ResponderEliminar
  2. Beijo, querido e talentoso poeta! Tudo de luz pra você...

    ResponderEliminar
  3. Jorge,
    lhe desejo saúde no corpo, paz no espírito e caminhos abertos...

    Feliz Natal!

    bj

    ResponderEliminar
  4. Meu Bom Amigo,

    Que o carinho desse teu cachecol te dê o calor chamado Felicidade, nesta quadra que te desejo,
    vivida, na companhia de quem te é querido.

    Maravilhosa escolha musical...recordei.

    de mim...
    Forte Abraço

    ResponderEliminar
  5. Primeiro, vou comentar o encanto desse desenho do papai-noel, sabe que tirando aquele bigode, as roupas vermelhas, até lembro-me você?!

    E essa poesia?! Com versos muito especiais refletindo a tão esperada noite de natal, a preparação, a correria, os símbolos, os múltiplos sentimentos de alegria, melancolia, presença e solidão... as badaladas... quando é mesmo o natal?!!

    Para fechar com chave de ouro, brindou-nos novamente com belíssima canção.

    Feliz natal, querido Jorge!

    ResponderEliminar
  6. que possamos nos reunir mais em torno das palavras e numa fogueira de sílabas deixar queimar em versos os nossos corações,

    grande abraço

    ResponderEliminar
  7. este texto ficou-me na memória de tão belo que é...

    amigo, um até breve com um beijinho cheio de natal :-)!

    p.s. o desenho está um encanto!

    ResponderEliminar
  8. querida jb,
    se sei o que é este final de período. desejo que, apesar da correria, tudo tenha ficado feito, bem a tempo de anunciar o desejado (e merecido) descanso.
    um beijinho com votos de um natal junto do carinho de todos quantos se fazem importantes na tua vida!

    ResponderEliminar
  9. taninha,
    um beijo de luz, calor e poesia para ti, nesta quadra que, em geral, a todos toca tão profundamente!

    ResponderEliminar
  10. ana,
    agradeço e retribuo os votos. que o natal a todos deixe chegar a paz e o carinho que fazem do ser humano o mais complexo, mas igualmente o mais valioso elemento da criação.
    um beijinho!

    ResponderEliminar
  11. caro sérgio,
    que presença tão agradável, a tua, por aqui.
    desejo que o espírito da canção dos pogues se faça presente neste teu natal.
    um abraço e tudo de bom!
    p.s. é mesmo uma grande música, verdade? para mim, de longe, a melhor a que associo o natal.

    ResponderEliminar
  12. ai lívia,
    essa analogia não me favorece nada - não tenho o cabelo grisalho e muito menos os quilos que se escondem por debaixo da fantasia, hihihi!
    agradeço as tuas sempre tão iluminadas palavras. este texto escrevi-o justamente numa consoada, quando, numa fase particularmente sensível da minha vida, e viajando até à casa dos meus pais para a ceia, me vi imerso numa nostalgia inexplicável que me fez encostar e ali permanecer uns bons minutos. era a cidade-fantasma apenas povoada de alguns infelizes de quem deus talvez se tenha esquecido. felizmente, ainda cheguei a tempo do bacalhau, hehehe!
    grande malha, esta canção dos pogues, verdade?
    um beijinho terno neste natal! que tudo corra dentro do que anseias e projectas!

    ResponderEliminar
  13. brindemos ao fogo, amigo assis!
    um natal com as labaredas que só ardem nos corações especiais!

    ResponderEliminar
  14. querida amiga andy,
    leste-o pela primeira vez no enferrujado e arquejante circum-viagens (como bem fizeste notar). este ano recuperei-o e consegui disciplinar-me para não o a(du)lterar :).
    um beijinho natalício preenchido por todo carinho que sinto por ti!

    ResponderEliminar
  15. Consoada é palavra que parece tão fraterna. Um grande abraço, Jorge. Tudo de bom para você e para os seus!

    ResponderEliminar
  16. marcantónio,
    sempre sinto a noite de consoada como a antecâmara de uma renovação. a presença daqueles que nos são caros ajuda a dar ainda mais sentido ao processo. agradeço-te, por isso, a presença, as palavras e o afecto com que me distingues.
    um abraço de natal para ti e para todos quantos te ajudam a dar sentido à quadra!

    ResponderEliminar
  17. Jorgito, meu sempre querido poeta e amigo,

    Te desejo uma noite de Natal impregnada de amor e que esse amor seja derramado nos dias do ano que se anuncia.
    Desejo que nossa poesia continue a nos aproximar, sem que notemos o oceano.
    Quando é o Natal? Todos os dias, pra quem tem ele no coração.
    Um enorme beijo de luz

    ResponderEliminar
  18. Meu querido Jorge
    Presente lindo de Natal, é este seu emocionante texto, ilustrado de forma tão especial!
    As labaredas de seu coração estendem o calor até aqui, aquecendo-me a alma, via de regra enregelada...
    Grata, amigo!
    Muito grata!
    Muita felicidade nas Festas!
    Que, em 2011, estejamos juntos, como estivemos em 2010, e até mais!
    Você é muito, muito importante para mim...
    Um abraço interminável!

    ResponderEliminar
  19. querida amiga ira,
    que tamanho tem o mar? não lhe conheço os cantos ou os ângulos mais recônditos, mas sei-o dentro da nossa mão. porque? simplesmente porque nela vive a poesia.
    um feliz natal para ti e todos os que te são queridos!

    ResponderEliminar
  20. zelita,
    se em 2010 estivemos juntos pelo braço da amizade e da poesia, em 2011 estaremos ainda mais próximos. é que na amizade e na poesia (serão sinónimas as palavras?) o caminho faz-se para dentro de cada um de nós e dos que aí vivem.
    um abraço natalício para ti e para todos os que amas!

    ResponderEliminar
  21. jorgíssimo,
    escrevi o maior comentário do mundo, ontem, aqui... mas ja sei o que fiz de errado (o que não fiz)... é aquela palavrinha escrota e que normalmente não faz sentido, aquele ajuntamento de letras que o "guga" nos obriga a digitar ao final...
    aprendi a loição: após o quinto uisque, não comento mais nem em site de culinária.

    de qualquer forma, jorgíssimo, o que quis dizer, ontem, é que sua amizade foi um dos meus presentes de natal que eu mais curti em 2010(e durante o ano inteiro, não apenas neste 25/12).

    te deixo um abraço amigo, e todo o afeto que uma amizade da boa pode nos proporcionar.

    desde new jersey (capital da sibéria...frio do cacete!), o

    roberto

    ResponderEliminar
  22. querido amigoroberto,
    com ou sem comentário, recebendo a conivência ou a censura do guga, em poesia ou culinária, a tua amizade estará sempre presente.
    um abraço natalício, com um frio do caráleo (eu aprendo depressa :)) - ainda que sem neve - desde a cidade dos arcebispos, a mui augusta cidade de braga!

    ResponderEliminar
  23. caro jorge,

    por vezes esvaísse-me a capacidade interpretativa e esta é uma delas quando não entendo as tuas palavras no meu blogue (http://temperadois.blogspot.com) onde divago numa fantasia em cumplicidade com a escrita.
    sou apaixonado por estória, épocas, e a medieval é um bálsamo para mim. aí está o porquê deste meu blogue e a referência ao teu comentário, que agradeço.

    Feliz Natal
    um Abraço

    ResponderEliminar
  24. és um presente que zeus me brindou, amigo- amado-parceiro-poeta.

    conte comigo pro que der e vier!

    beijo em ti e nos teus.

    ResponderEliminar
  25. pimentão...
    te escrevi em nuvens!


    para onde devo mandar a escrita!????



    ou...


    veja aqui ó:
    http://carlacarlacarlac.multiply.com/photos/album/30#photo=14


    beijo, beijo e beijo!!!

    ResponderEliminar
  26. obrigado por tudo, caro sérgio.
    um abraço neste natal!

    ResponderEliminar
  27. cris, amiga poeta e parceira,
    a bênção foi-me concedida a mim, tu que tens a delicadeza do cris.tal no gesto, na voz e no nome.
    que 2011 nos traga ainda mais poesia e que a nossa amizade continue a rasgar as ondas do atlântico!
    beijos natalícios para ti e todos os que amas!

    ResponderEliminar
  28. querida carla,
    não sou míope, mas tenho dificuldade em ler as nuvens (será este o complexo maior da pequenez humana? sentir que o algodão de deus está sempre muito acima dos lugares onde não nos é permitido sequer espreitar, quanto mais trilhar).
    ainda assim, agradeço o carinho e a criatividade do exercício.
    um beijinho natalício!

    ResponderEliminar
  29. Natal às vezes é bem triste.
    Mas hoje quero te desejar uma data de alegrias e amor.

    Beijo e um ótimo ano novo.

    ResponderEliminar
  30. Muita luz, muita paz e continue assim, acalentando os nossos corações com suas poesias... Bjosss e feliz natal!!!

    ResponderEliminar
  31. "Nem mesmo a companhia dos gatos que, como eu, vagueiam pelas artérias nuas, em busca de um sorriso esquecido, conseguem revelar o negativo fotográfico que, qual parasita, se alojara no meu coração."

    Jorginho,
    Sinto o aconchego do teu abraço e tuas palavras sempre aquecem meu coração. Obrigada pela partilha do carinho e da poesia.
    Espero que consiga sentir também meu abraço e meu afeto.
    Tudo de melhor pra ti, meu querido.
    Feliz Natal!!!
    Meu presente este ano chegou com meses de antecedência.
    Beijinhos cheios de pólen...

    ResponderEliminar
  32. Jorge Pimenta (grande poeta e amigo)
    sinta-se abraçado e todos os votos
    de Luz e Sorte sobre sua alma
    ...

    ResponderEliminar
  33. Gosto de te Ler, Jorge.

    ... e a noite está quase a passar...
    Quando é o Natal?!!!!?

    Sem pedir permissão ousei roubar uma pontinha desse "abraço com os dedos longos da neve quente que sempre se faz doce na lareira do coração."

    Festas em paz e serenidade é quanto te desejo.

    ResponderEliminar
  34. dade,
    natal é a neve nas ruas e o fogo nas lareiras das casas. a questão é saber qual dos dois nos habita o coração no natal da vida? umas vezes arde em chama, outras é em verdadeiro icebergue, verdade?
    um beijinho natalício para ti!

    ResponderEliminar
  35. giomara, o coração que por aqui mais aquece é o meu, sempre reconfortado pelo carinho da vossa presença e da vossa amizade!
    um abraço com os dedos do verdadeiro natal!

    ResponderEliminar
  36. querida amiga pólen,
    sim, sinto o teu carinho, bem como o de todos os nossos amigos que por aqui e por aí partilham connosco a poesia. e, crê-me, não o sinto apenas neste dia de natal; sinto-o a cada palavra, a cada emoção, a cada reflexo da alma que se vai desprendendo dos dedos que agarram os diferentes dizeres ao longo do ano.
    termino com um beijinho cor de âmbar e a certeza de que termo-nos cruzado foi das coisas boas que o 2010 dos blogues proporcionou!

    ResponderEliminar
  37. amigo domingos, poeta admirável,
    esse teu abraço já cá chegou há imenso tempo. nem a fúria do oceano o pôde suster.
    tudo de bom para ti, camarada amigo!

    ResponderEliminar
  38. amiga-de-encantar,
    este abraço que aqui deixei já não é meu; é teu, do domigos, da pólen, do roberto, da cris... e de todos os meus queridos amigos que ajudaram a dar mais sentido às triviais e maiores coisas que o ano me proporcionou. sempre sob o lema da delicadeza, da ternura, da amizade.
    um forte abraço!

    ResponderEliminar
  39. Jorge, querido, minha razão sempre me diz que datas dizem tão pouco do mundo...mas cismo em acreditar que no dia em que tantas pessoas se unem, nem que seja por um ínfimo momento, para serenar o coração e pensar em algo de bom, há uma força especial, uma aura que nos sopra ainda alguma esperança sobre essa nossa humanidade.
    Te desejo vida! Hoje, amanhã e depois e depois e por todos os dias. Vida bem vivida!

    um beijo e um abraço carinhoso, amigo poeta!

    ResponderEliminar
  40. Que o sonho se cumpra com a força que desejares enfeitado com a luz do arco-íris e a frágil transparência da borboleta.

    Feliz Natal, Jorge. Para todos.
    Abraço

    ResponderEliminar
  41. Saudações Jorge,
    emocionante seu texto
    entre tristezas e alegrias estamos à porta de mais um ano
    gostei de saber destas viagens de luz e sombra
    te desejo um 2011 maravilhoso com muito mais alegrias que tristezas

    beijo e um grande abraço

    ResponderEliminar
  42. Não há maior imensidão do que no coração de um poeta... lá cabem todas as estações, todos os caminhos, todas as dores... lá cabem o mundo e seus vazios, a alma e seus aconchegos. Tua prosa é deliciosa e a mim me cativa completamente. Amo a prosa, amo as palavras correntes como água de rio, ora manso, ora bravio. Conhecer vc foi um presente do destino e um carinho da vida, pois vc é doce como um favo de mel e pura emoção que jorra farta em torrentes de versos.
    Que bom ter te conhecido. Que bom continuar contigo.
    Que 2011 se revele um ano de realizações que o façam muito mais feliz.
    Beijokas.

    ResponderEliminar
  43. Parabéns pelo lindo post! Passei para antecipar os meus melhores votos para o novo ano que está tão próximo. Que ele lhe traga as suas melhores futuras lembranças.
    Saúde e paz
    bjs

    ResponderEliminar
  44. tocou-me a fundo.
    e desde já, um feliz natal atrasado. :*

    ResponderEliminar
  45. querida andrea,
    desacredito, cada vez mais, dos ícones e dos rituais que lhes tributamos. vejo-os, todavia, como símbolos daquilo que fomos/somos capazes de construir dentro e fora de nós, na relação de uns consigo mesmos e com os outros. celebro, pois, a amizade e tudo o que ela representa. a nossa amizade, andrea.
    um beijinho com profundo carinho!

    ResponderEliminar
  46. querido amigo jad,
    a sensibilidade do homem reside na capacidade de ver o mundo através dos olhos de uma criança, independentemente da idade. oh, quando assim for, a essência do natal cumprir-se-á bem para lá do calendário... (quem sabe se na frágil transparência do voo das borboletas).
    um abraço sentido!

    ResponderEliminar
  47. amiga vais,
    também eu me regozijo com esta ligação de um ano das viagens com (até) às últimas consequências :)
    um beijinho!
    p.s. grande texto tens lá nas tuas "consequências"!

    ResponderEliminar
  48. querida lua nova,
    2010 foi, de facto, um ano particular em que muito tive de recomeçar. um sinal inequívoco da mudança, a extinção do meu primeiro (e saudoso) blogue, circum-viagem (ainda se encontra a vogar em águas de memória que corroem, aos poucos, um casco que se anunciava inexpugnável - oh, nada é eterno, verdade?), e a abertura destas viagens de luz e sombra. e como esta viagem rapidamente se fez grata. não tanto pelo que representa em si mesmo, mas pelas múltiplas viagens que se fizeram, ao lado de marujos experimentados na arte de marear as palavras em harmonia poética. como tu, lua nova!
    brindemos a isso!
    um abraço com carinho imenso!

    ResponderEliminar
  49. stella,
    um abraço, apontando ao melhor do novo ano, onde os impossíveis que bordamos com os lábios da poesia sejam capazes de beijar a realidade!

    ResponderEliminar
  50. stella,
    o natal faz o calendário; não o inverso :)
    um beijo!

    ResponderEliminar
  51. ups... desculpa, tatá, o último comentário surge na sequência do teu aqui deixado; enganei-me no destinatário.
    aqui vai, desfazendo o equívoco: o natal faz o calendário; não inverso :)
    um beijo e uma flor envergonhada pelo lapso!

    ResponderEliminar
  52. Jorge meu amigo, só agora ando retornando a vida normal depois de implantar o projeto que estava desenvolvendo.
    Espero que esse até breve seja breve o suficiente para acolher o meu abraço de Natal e o meu abraço de um ano novo cheio de luz para você.
    Amigo gostaria de dizer ainda que seus posts me encheram de cultura e bem estar por todo esse ano, que em 2011 você se supere mais ainda.

    Um abraço de urso para você.

    ResponderEliminar
  53. Bastante verdadeiro este seu texto. Senti-me aí em Portugal, a ver a correria nas ruas, onde já estive diversas vezes.
    Grande abraco e obrigada pela amável visita!
    Feliz semana!!

    ResponderEliminar
  54. caro gilson,
    é um gosto e um prazer saber-te de regresso.
    agradeço a simpatia das palavras e retribuo os votos formulados, desejando que este nosso encontro de vozes ganhe ainda maior amplitude em 2010.
    um forte abraço!

    ResponderEliminar
  55. 2010? como é que pode?!... 2011, gilson, evidentemente :)
    um abraço com amizade!

    ResponderEliminar
  56. márcia, é mesmo isso: correria, vozes, luzes, apertos de mão sob o frio que encarquilha os sentidos, galerias e lojas, música de natal, pais natal, vendedores de castanhas, enfim, um carrossel onde o menino jesus e o seu espírito se perdem nas algibeiras, algures entre os trocos que sobram dos presentes...
    um abraço!

    ResponderEliminar
  57. Desculpe não ter vindo antes, poeta alado...

    Não há de faltar oportunidade de te desejar um bom Natal...

    Quanto ao novo ano... é só dar um passeio ao Luz...

    Beijo iluminado,amigo Jorge!

    ResponderEliminar
  58. Meu querido

    Que as palavras sejam a lareira que nos aquece, neste ano que vai começar.
    Feliz 2011, com amor e paz...e calor humano.

    Beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  59. Salve Jorge, existe um natal diferente dentro de nós, um que muitas vezes não se confunde com o que se passa lá fora.
    Certa vez o natal de dentro de mim e o natal de fora entraram em conflito, sai como uma avalanche movendo tantas coisas por onde passava, fui forre dentro de uma fraqueza inconsolável, e sobre vivi, mas ainda tenho as minhas manias, e uma delas é prender o natal todos os dias dentro de mim.

    Um feliz 2011 pra ti, com muita paz e muitas realizações.

    ResponderEliminar
  60. Jorge,
    deixo para você meus desejos de um Feliz ano Novo, cheio de alegrias e com a energia renovada!
    Paz em seu coracao, prosperidade, amor, saúde e muita luz!
    .......|___|... ........|___|...
    ........|000|... ........|000|...
    ........|000|... ........|000|...
    ........|000|... ........|000|...
    ........|000|... ........|000|...
    .........\00/.... .........\00/.... Um
    ..........\0/..... ..........\0/..... xbrinde
    ...........||...... ...........||......a nossa..
    ........._||_.... ........._||_....amizade e que ... tenhamos um

    Feliz Ano 2011!!!!!

    Beijos

    ResponderEliminar
  61. tão irlanda e tão linda (pleonasmo? :))
    é, para mim, a música que, talvez sem ser objectivamente de natal, mais traz o natal para dentro de mim.
    abraços, andressa!

    ResponderEliminar