sexta-feira, 15 de junho de 2012

ode a van gogh


Gostaria de ter sido um girassol. Um girassol hirto no seu caule, de longas folhas verdes desajeitadas e uma enorme corola doirada, seguindo cegamente o sol.
Estou só e a minha cabeça explode em milhões de girassóis.

Jorge Sousa Braga (Van Gogh por Van Gogh)


fotografia de jorge pimenta


arregaço os girassóis
com que aprendi a beijar
pé sobre pé
e componho a jarra no centro do peito.
sussurram-me que o amor é apenas conceito
de silêncio e ilusões
com que se raspa o corpo
como toda a flor de verso branco que
atirada à combustão do poema
ensanguenta a garganta prenhe de dizer
enquanto as candeias dos deuses
atam aos céus nuvens e balões.

mas sempre acreditei em girassóis
e em altares que acendem estrelas na carne:
só as pétalas embalam o lençol
porque se o amor é fórmula,
todo o ódio é medo
e das flores apenas conhece o plástico.

é tempo de pintar lábios grossos e revisitar van gogh:
o girassol junto à boca humedece a linha do fogo.

kate bush, wuthering heights

55 comentários:

  1. lindo demais Jorge! Van Gogh nos afina sempre com os nossos melhores sentimentos e eu durmo as vezes em um desses girassóis :). Adorei a fotografia.

    um beijo

    ResponderEliminar
  2. van gogh e girassóis são puro alumbramento, pétalas e sílabas no horizonte, assim se queima a existência do poema,


    abração

    ResponderEliminar
  3. Jorge, muito bom o teu poema.
    Um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. Oi Jorge,
    Enfim, um amor em girassóis calçados numa boca, de encontro ao ardor de um sol, que doura e faz germinar a semente de um desejo tonto pelas voltas do tempo, mas que não foge ao ímpeto das garras de sua eterna esperança, em mãos grandes e pesadas de lavrador...

    Generoso!!

    Beijos e um final de semana, na beleza dos girassóis...

    ResponderEliminar
  5. Amo Vincent. E seus poemas nos dão essa sensação das telas dele; uma pincelada de suas palavras faz saltar algo cá dentro.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  6. é loucura entender a cor das coisas?


    beijinho, meu querido amigo!

    ResponderEliminar
  7. Oi Jorge,
    Também eu acredito em girassóis.
    Lindíssimo como sempre.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Maravilha de poema, Jorge. Percebi a imagem do girassol em cada linha, em cada verso. Concluo que nessa ode o girassol é você, poeta!

    Beijos

    Mirze

    ResponderEliminar
  9. Ter na alma um detector de sol,
    guardar no peito substância e perfume,
    transformar o nó da garganta em céu e nuvem,
    e despedaçar na cama o desejo para se ter inteiro o amor é mais que talento, é praticamente um ato de fé no ser humano.
    Inteligentíssimo poema.
    Inteligência somada à beleza.
    Raríssimo poema

    Beijoss

    Lelena

    ResponderEliminar
  10. "...ensanguenta a garganta prenhe de dizer..." Ah, Jorginho, só aqui um mundo indizível se diz no verso! E os girassóis, e Vincent...que dizer? Amo-os: ao pinto, ao poeta e aos girassóis...
    Beijos,

    ResponderEliminar
  11. Um lindo e profundo poema.Girassóis e Van Gogh, pura arte.Parabéns.

    ResponderEliminar
  12. Sempre à procura do sol.
    Belo.
    Beijo grande

    ResponderEliminar
  13. Tanto que os girassóis sabem do amor! E Van Gog dos girassóis. Na parceria, o poema pinta encontros e desencontros numa tela de ilusões.

    Um beijo

    Lídia

    ResponderEliminar
  14. as flores de plástico podem conhecer a eternidade, mais jamais provarão dos sabores que existem nos altares. As pétalas, sim!
    bj imenso, Jorgito do coração e com as cores de Vicent na boca

    ResponderEliminar
  15. Mais um lindo poema meu amigo Jorginho. Você realmente sabe muito das coisas!

    Parabens!

    ResponderEliminar
  16. Oi Jorge,

    Tudo bem? A interface de girassóis com Van Gogh foi maravilhosa! Lindo!

    Beijos.
    Lu

    ResponderEliminar
  17. Amigo Jorge,
    Ode digna do genial Van Gogh.
    A flor em si exala poesia.
    Assim como a solitária flor do girassol requer luminosidade, o poeta também é carente de alumbramento.
    Aqui, mais uma vez, foste notável, amigo.
    Ah, lembrei-me deste meu haicai:

    Flor de girassol,
    Vive a girar à procura
    Do brilho do Sol.

    Obrigado pelo lindo poema que deixaste no meu blogue na última visita!

    Abraços do amigo de além-mar e ótimo fim de semana para ti e família.

    ResponderEliminar
  18. Jorge, querido PoetAmigo!
    Penso no ser humano como um satélite na eterna busca por um satélite-maior. Nesse quesito sou praticamente uma mulher girassol.
    Mas existe quem não se entusiasme com isso; ou não perceba a luz quando bate em seu rosto; ou ainda protocole culpas e sentenças a quem quer que seja pela dificuldade em encontrá-la, ao invés de perceber-se como protagonista de sua própria busca, como na música do compositor brasileiro Geraldo Vandré: “...quem sabe faz a hora, não espera acontecer”.

    Além disso, não consigo aliar a palavra ‘fórmula’ a ‘amor’, seria como imaginar uma plantação de girassóis perfilados numa simetria dórica, o que chamo de ‘crime da perfeição’. Porque somos indivíduos únicos que amamos outros indivíduos únicos, e temos todos nossa vivência, também única. Padronizar os girassóis é distraí-los da busca pelo satélite-maior, é arrancá-los a motivação, o amor, plastificar sentimentos; não transformar o amor em ódio, mas em seu antagonismo maior: a indiferença.

    Prefiro o impressionismo dos girassóis de Van Gogh, que se faz inusitado a cada busca e olhar, tufos amarelos que vem não sei de onde, e seguem o rumo não sei como, mais ou menos igual a meus cabelos :)

    Poema-Sol este que cunhaste a mãos firmes e pensamentos-satélite. Maravilhoso, querido Jorge, impossível não voltar-me os olhos para cá.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  19. Que lindo Jorginho... tanto a imagem quanto o poema!

    Acho os girassois de uma beleza única!

    Andei sumida pra caramba, por conta de um acidente que meu marido sofreu, mas agora estou de volta! ;)

    bjks JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderEliminar
  20. No meu comentário, onde se lê "pinto", leia-se "pintor", que do lado de cá esse pinto tem uma conotação outra...rs Faltou um "r". Beijo, querido.

    ResponderEliminar
  21. Boa tarde!
    Bom final de semana
    Vim deixar um abraço, pela sua
    presença sempre carinhoso no meu
    cantinho, receber sua visita é
    um prazer imenso,que seu dia seja
    melhor hj e sempre
    Bjuss
    Rita!!!

    Lindo poema e falar sobre os girassois
    mais lindo ainda!!!

    ResponderEliminar
  22. E a garganta está prenhe de dizer: versos lindos demais... Muitos beijos :)

    ResponderEliminar
  23. Putz, Jorge
    salve, salve esta ode!
    amor é uma solução, uma mistura, um composto, uma fórmula indefinida mesmo que saibamos das substâncias e dos elementos necessários
    ah, moço, certamente que todo o ódio é medo

    Nossa, e a canção deste vídeo, voltei ao passado,lá na cidade onde vivi e dançávamos nas noites de hora dançante a passos lentos, mãos no ombro, mãos na cintura.

    :) lindo você e estas viagens de luz e sombra

    beijão

    ResponderEliminar
  24. Oi Jorge cada flor tem o seu encanto e sua beleza com o girassol não é diferente. ... e pinturas, um exemplo clássico disso são os girassois de Van Gogh. ... uma das flores ideiais para refletir sentimentos e pensamentos ensolarados.!!
    Beijos querido

    ResponderEliminar
  25. Meu querido amigo, fico tempos e tempos sem falar com você, venho aqui e vejo um vídeo de uma moça que ouvi o dia inteiro a cantar - uma vez que a mesma fez uma musga baseada no monólogo da Molly, do Joyce e que hoje é Bloomsday:
    http://www.youtube.com/watch?v=AJc64xncBt4

    Leio sempre seu livro, pra matar a saudade. Espero que esteja bem e sim, você é um girassol: http://www.youtube.com/watch?v=tW0oVxWYOA8

    Um abraço na combustão do poema.

    ResponderEliminar
  26. gostei muito deste espaço: imagem, som e muitas palavras! parece-me uma fantástica combinação! vou passear por aqui devagarinho e descobrir.

    ResponderEliminar
  27. Tão cheio de sol! :-)
    Impossível não acreditar em girassóis e todos os sonhos que isso nos devolve, porque pelo menos no sonho, não mora o medo...

    E a musica! Acho que nunca deixarei de me sentir diferente quando oiço musica deste tempo.
    Beijos, amigo!

    ResponderEliminar
  28. Parabéns! Muito bom.
    E ha quanto tempo nao ouvia este tema da Kate Bush!

    Abraço assim_________ :)

    ResponderEliminar
  29. Não se pode perder a faculdade de acreditar. Em torno de que vamos girar sem o amor? É nele que se inspiram os poetas, ao focar as flores, os sabores e toda a natureza. O girassol chamou o pintor. E conduziu você a esses lindos versos.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  30. Olá Jorge,

    Muita beleza e arte por aqui. Girassóis, Van Gogh e poesia.
    Uma bela ODE!

    Adoro a música.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  31. Meu querido amigo, fico em silêncio diante das tuas palavras. A tua poesia misturou-se à tela de Van Gogh e traz perfumes a alma...

    Belo, belo demais.

    Beijos meus

    ResponderEliminar
  32. Gosto de girassois, mas prefiro o poema. Sublime meu amigo. Beijos com carinho

    ResponderEliminar
  33. Oi Jorge

    Giram-me em mil sóis estes seus girassóis,
    Porque perseguir o sol é nossa sina.

    (Como eu gostei deste poema: Demais)

    Beijos

    ResponderEliminar
  34. Girassóis são a especialidade maior de Van Gogh, e o poema tem tudo a ver com ele, meu pintor do coração.

    Beijos, Jorge!

    ResponderEliminar
  35. Sementes de belas palavras que germinam os girassóis dedicado ao artista ímpar!

    Muita paz!

    ResponderEliminar
  36. OI JORGE!
    EXPRESSÕES POÉTICAS, QUE SÃO SAÍDAS DA ALMA, NÃO PODEM TER DEFINIÇÕES, SÓ O PRÓPRIO POETA SABE O QUE LHE IA NO CORAÇÃO NO MOMENTO DE TRANSCREVÊ-LAS...
    ACHEI LINDO,COM TEUS GIRASSÓIS E OS DE VAN GOGH.
    ABRÇS
    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderEliminar
  37. Meu querido Poeta



    Os girassóis são como o amor...sempre procurando o sol desde o nascente ao poente e recolhendo as pétalas no entardecer.
    Tal como o girassol o poeta procura a luz...tateando o infinito, procurando o céu.
    E tu pintas girassóis em cada poema.

    Um beijinho carinhoso e a minha admiração
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  38. Olá, Jorge.
    Acredito que,, sem um Sol para nos servir de guia, andaríamos sem rumo por boa parte de nossa vida.
    Abraço, Jorge.

    ResponderEliminar
  39. Boa noite , Poeta !

    A tua poesia me fez recordar que além dos girassóis, todas as plantas, absolutamente todas, se voltam para o Sol em busca de Luz,a fotossíntese poética do seu crescer e vicejar, tal qual o poeta que tem a poesia como fotossíntese dos sentimentos.
    Excelente homenagem á Van Gogh!

    Beijinhos , Jorge!

    ResponderEliminar
  40. Jorgíssimo

    Me curvo encantada como esses girassóis que Van Gogh pintou sem fórmula e sem medo. Certamente êle está como eu te aplaudindo com mais este poema.

    Anoitece
    Curvam-se os girassóis
    e sonham com a lua

    Uma linda semana
    bjs

    ResponderEliminar
  41. Me fez lembrar uma canção

    O Girassol
    Ira!

    Eu tento me erguer
    Às próprias custas
    E caio sempre nos seus braços
    Um pobre diabo é o que sou

    Um girassol sem sol
    Um navio sem direção
    Apenas a lembrança
    Do seu sermão

    Você é meu sol
    Um metro e sessenta e cinco de sol
    E quase o ano inteiro
    Os dias foram noites
    Noites para mim

    Meu sorriso se foi
    Minha canção também
    Eu jurei por Deus
    Não morrer por amor
    E continuar a viver

    Como eu sou um girassol
    Você é meu sol

    Eu tento me erguer
    Às próprias custas
    E caio sempre nos seus braços
    Um pobre diabo é o que sou

    Um girassol sem sol
    Um navio sem direção
    Apenas a lembrança
    Do seu sermão

    Morro de amor e vivo por aí
    Nenhum santo tem pena de mim
    Sou agora um frágil cristal
    Um pobre diabo
    Que não sabe esquecer
    Que não sabe esquecer

    Como eu sou um girassol
    Você é meu sol
    Bjos achocolatados, poeta dos poemas do céu!

    ResponderEliminar
  42. Lindo poema Jorge, e tanto o quadro como o poema são uma complementação um do outro, e o quadro por sinal é lindo também. E essa música da Kate Bush acho linda, talvez a única música pelo qual ela é conhecida, mas uma baita música.

    Um abração pra ti amigo.

    ResponderEliminar
  43. Quanto tempo que não escutava essa música.. Boa escolha!
    ;) Nunca me canso de Van Gogh.. Parabéns.. Já te acompanho!

    ResponderEliminar
  44. Também acredito
    "em altares que acendem estrelas na carne"
    ainda
    e nunca canso de Van Gogh

    Abraço, Jorge!

    ResponderEliminar
  45. ...querido poeta,
    você é um girassol envolto
    nas pétalas da poesia.

    bj imenso, alma linda!

    ResponderEliminar
  46. "é tempo de pintar lábios grossos e revisitar van gogh / o girassol junto à boca humedece a linha do fogo" - excelente toque final para uma poesia que vive do retrato da vida enquanto exercício de barras. A linha de fogo como limite perigoso do amor.

    ResponderEliminar
  47. Bom dia !
    Passando para deixar um alô sei
    que vc merece todo meu carinho por
    estar sempre me prestigiando.
    Eu faço o mesmo te parabenizo por
    tudo que vc faz de bonito nesse seu
    espaço..Abraços
    Rita!

    ResponderEliminar
  48. e meus olhos como girassóis, seguindo o teu sol de letras...

    ResponderEliminar
  49. E tudo gira sob o sol...sucessão de movimentos, que envolvem a natureza exacta das antigas divindades...e, porque a deusa do água é também o cheiro imenso que envolve a terra, a matéria-prima será sempre os girassóis
    em altares que acendem estrelas na carne. Nada a fazer...


    Beijinhos Poeta

    beijinhos Poeta

    ResponderEliminar
  50. clap-clap-clap!

    é tempo de aplaudir a ode, você e van gogh!

    e tome outro beijo!

    ResponderEliminar
  51. duas belas imagens que admiro..
    Van Gogh e tuas letras,teus sentidos e sentimentos..
    perfeito..
    bravo sempre querido Jorge!
    beijos.

    ResponderEliminar
  52. Oi Jorge
    levei comigo o poema do outro Jorge,e fiz menção de onde me inspirei rs
    qualquer hora levo os seus ,que são mais reais (?),pra mim.
    beijinhos

    ResponderEliminar